Em discurso na Paulista, Ciro faz aceno ao PT ao pedir união pelo impeachment de Bolsonaro

Pedetista defendeu união de partidos com ideologias antagônicas em torno do impeachment de Bolsonaro

Foto: Karen Lusvardi

Em discurso durante manifestação contrária ao presidente Jair Bolsonaro, na Avenida Paulista, neste domingo, 11, o presidenciável Ciro Gomes (PDT) fez um aceno ao Partido dos Trabalhadores (PT) ao defender a união de correntes ideológicas distintas em torno do impeachment de Bolsonaro.
“Para fazer o impeachment e proteger a democracia brasileira temos que juntar todo mundo. Ainda há tempo para o PT amadurecer. Quem for democrata tem que entender que o impeachment é a única saída. Precisamos fazer um acordo com a direita e um centro democrático”, afirmou o pedetista. As declarações são um movimento contrário às recentes falas de Ciro sobre o PT e Lula, a maior liderança do partido, a quem já chamou de “maior corruptor da história brasileira”.
Ainda na manifestação da paulista, Ciro fez duras críticas a Bolsonaro ao dizer que o presidente “não é só um traidor da nação brasileira, mas um traidor dos seus soldados feridos, que abandonou na luta para fazer um conchavo vergonhoso e humilhante, frouxo e covarde”.
A fala faz referência à nota publicada por Bolsonaro no dia 8, em que ele se retratou pelos ataques feitos ao Supremo Tribunal Federal (STF) nos protestos do 7 de setembro.
Além Ciro, o ato realizado na Paulista também contou com a participação do ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta (DEM), dos senadores Simone Tebet (MDB-MS) e Alessandro Vieira (Cidadania-ES) e do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), todos prováveis candidatos ao Planalto em 2022.
O Povo

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top