Alexandre Frota protocola pedido de CPI para investigar facada em Bolsonaro

Arte na rede social do deputado nomeia comissão pretendida como “CPI da Facada”

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) protocolou pedido de abertura de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), nesta segunda-feira (13), para investigar a facada contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
Alexandre Frota informou sobre o pedido da CPI em uma arte publicada no Instagram. “Foi na facada que ele ganhou as eleições”, afirmou o deputado federal em banner com título no topo de “CPI da Facada”.
Ao portal Poder360, o deputado declarou que a decisão pelo requerimento foi tomada após assistir ao documentário “Bolsonaro e Adélio – Uma Facada no Coração do Brasil”, do jornalista Joaquim de Carvalho.
Alexandre Frota afirmou ainda que deseja que a deputada Erika Cokay (PT-DF) seja a relatora e o deputado Junior Bozzella (PSL-SP), o presidente da “CPI da Facada”.
Para ser instaurada na Câmara, uma CPI precisa do requerimento de pelo menos um terço dos deputados.
A facada contra Jair Bolsonaro aconteceu no dia 6 de setembro de 2018, quando o então presidenciável estava no meio do público participando de um ato de campanha em Juiz de Fora (MG). O agressor foi detido no mesmo dia e confessou ser o autor do golpe de faca, segundo informou a Polícia Militar de Minas Gerais na época.
A facada atingiu o intestino e ele foi submetido a duas cirurgias, uma na Santa Casa de Juiz de Fora e outra no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Bolsonaro usou uma bolsa de colostomia após ser esfaqueado. 
No fim de janeiro de 2019, Bolsonaro realizou procedimento cirúrgico para retirar a bolsa de colostomia e religar o intestino. 
Adélio Absolvido
Em maio de 2019, o juiz Bruno Savino, da 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, concluiu que Adélio Bispo tem transtorno mental e é inimputável. Um mês depois, ele foi absolvido pela facada.
Diário do Nordeste

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top