Sete pessoas são rendidas e assassinados em chacina em praça pública em Viçosa do Ceará; vítimas foram colocadas lado a lado

Em uma trágica madrugada desta quinta-feira, 20, a cidade de Viçosa do Ceará, no interior do estado, foi palco de uma chacina brutal que resultou na morte de sete pessoas. Os assassinatos ocorreram na Praça Clóvis Beviláqua, onde as vítimas foram rendidas e colocadas lado a lado antes de serem executadas.

Câmeras de segurança registraram o momento em que os criminosos, armados, renderam as vítimas, entre homens e mulheres, forçando-os a colocar as mãos na cabeça. No total, nove pessoas foram baleadas. Dessas, sete morreram no local, enquanto duas foram socorridas com vida e levadas ao Hospital Municipal de Viçosa, sendo posteriormente transferidas para o Hospital e Maternidade Madalena Nunes, em Tianguá. O estado de saúde dos sobreviventes não foi divulgado.

As motivações para a chacina ainda não foram esclarecidas, e as vítimas permanecem sem identificação oficial. Sabe-se apenas que pelo menos uma das pessoas assassinadas usava tornozeleira eletrônica. De acordo com o Batalhão da Polícia Militar do município, parte do grupo estava em uma comemoração na praça quando os criminosos chegaram em veículos por volta das 3h e renderam as pessoas.

A Secretaria da Segurança do Ceará divulgou uma nota informando que as equipes policiais estão “em diligências ininterruptas, com o intuito de elucidar as sete mortes e duas lesões à bala” na cidade. O secretário da Segurança, Roberto Sá, e membros da cúpula das forças policiais do estado estão a caminho de Viçosa do Ceará para atuar no caso.

Este é o segundo caso de chacina registrado em Viçosa do Ceará em dois anos. Em 11 de dezembro de 2021, quatro pessoas foram mortas a tiros em uma residência. Na ocasião, as vítimas, que incluíam mãe, filha, o companheiro da jovem e um primo dela, foram surpreendidas por suspeitos armados que invadiram a casa atirando. As duas mulheres foram mortas em um dos quartos, enquanto os homens foram assassinados em outros cômodos. Após o crime, os suspeitos fugiram.

No final de dezembro de 2021, a polícia prendeu Expedito Erivan Melo da Silva, conhecido como Kiko, apontado como chefe de um grupo criminoso com atuação em Tianguá e suspeito de participação na chacina.

Por: Redação Caririensi

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top