Motivação do garçom em Camocim ter degolado vereador em restaurante vem á tona

O crime brutal que chocou a cidade de Camocim, no interior do Ceará, na última semana teve novas atualizações. Durante um almoço, o vereador César Veras, 51 anos, foi degolado por um garçom dentro de um restaurante. Além do vereador, outras três pessoas foram esfaqueadas no ataque. As motivações do crime foram reveladas com ao portal Metrópoles.

De acordo com o delegado Eduardo Rocha, responsável pela investigação, o autor do crime, Antônio Charlan Rocha Souza, não tinha antecedentes criminais e era amplamente conhecido na cidade como uma pessoa pacata e religiosa. Rocha revelou que o motivo do assassinato foi o assédio moral que Charlan sofria no trabalho.

As vítimas esfaqueadas não foram escolhidas aleatoriamente. Todas elas eram amigas de Euclides Oliveira Neto, dono do restaurante onde o crime ocorreu e chefe de Charlan. Euclides foi a terceira pessoa a ser atacada pelo garçom. “Ele pegou revolta pelas pessoas que frequentavam ali. Ele queria atingir o dono do estabelecimento e, para isso, atacou os frequentadores que mais tinham relação com ele”, explicou o delegado Rocha.

Embora o vereador César Veras não tivesse nenhuma ligação direta com Charlan, sua presença no restaurante naquele momento o colocou no caminho do ataque. Todos os feridos e o assassinado eram frequentadores regulares do local.

Durante as investigações, foi solicitado à Justiça acesso ao celular de Antônio Charlan. “Não tinha nada de criminoso no celular, nenhuma ligação política, nenhum sinal de mandante, nada”, afirmou o delegado Rocha. No entanto, o histórico de navegação na internet de Charlan revelou que ele havia pesquisado sobre assédio moral no trabalho.

Por: Redação Caririensi

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top