Conheça os Principais Exames para Combater o Câncer

O diagnóstico precoce é crucial, especialmente em casos onde os sintomas podem ser inexistentes

O aumento na incidência do câncer em idades mais jovens tem alertado autoridades de saúde e especialistas para a necessidade premente de detecção precoce da doença. Em um relatório recente da American Cancer Society, constatou-se que, entre os grupos etários nos Estados Unidos, os menores de 50 anos foram os únicos a vivenciar um aumento na incidência geral do câncer de 1995 a 2020.

A prevenção primária, que inclui hábitos de vida saudáveis, como exercícios regulares e alimentação balanceada, é crucial. No entanto, a detecção precoce, considerada uma forma de “prevenção secundária”, torna-se essencial para casos em que o câncer já começou a se desenvolver, mas de forma lenta e assintomática.

O oncologista e colaborador da CNN, Elmer Huerta, enfatiza a importância da detecção precoce como meio de evitar que o câncer se agrave. Ele destaca os principais exames recomendados pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos:

Citologia para câncer de colo de útero:
Recomendada entre os 21 e 65 anos.
Inclui o teste do papilomavírus humano (HPV) e o exame de Papanicolau.

Mamografia para câncer de mama:
Iniciada aos 40 anos, uma vez por ano, até os 75 anos.

Exame de sangue oculto para câncer de cólon:
Recomendado a partir dos 50 anos.
Um teste positivo pode indicar a necessidade de uma colonoscopia.

Colonoscopia:
Recomendada para pessoas com risco médio a partir dos 45 ou 50 anos até os 75 anos.

Tomografia computadorizada de baixa dose para câncer de pulmão:
Recomendada a cada cinco anos para fumantes de longa data.

Além desses, o Instituto Nacional do Câncer destaca outros exames importantes, como a ressonância magnética para câncer de mama e o exame do antígeno de câncer 125 (CA-125) para câncer de ovário.

O diagnóstico precoce é crucial, especialmente em casos onde os sintomas podem ser inexistentes. A Dra. Leana Wen, médica de emergência e professora de Política e Gestão de Saúde na Universidade George Washington, destaca que os exames de rastreio de câncer salvam vidas ao facilitar o tratamento quando a doença ainda está localizada.

Apesar dos avanços, a Organização Mundial da Saúde alerta que a detecção em países de baixa e média renda é desafiadora devido à falta de acesso a ferramentas de diagnóstico. A OMS ressalta que menos de 30% desses países possuem serviços de diagnóstico e tratamento acessíveis.

Por: Redação Caririensi

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top