Dia Nacional do Forró celebra legado de Luiz Gonzaga

O gênero se consolida como Patrimônio Cultural do Brasil

Nesta quarta-feira, dia 13 de dezembro, celebra-se o Dia Nacional do Forró, uma homenagem ao icônico músico Luiz Gonzaga, nascido há exatos 111 anos em Exu, Pernambuco. A data, criada em 2005 reverencia o Rei do Baião e celebra a riqueza cultural e musical que é o forró, recentemente consagrado como Patrimônio Cultural do Brasil.

Luiz Gonzaga, conhecido como o Rei do Baião, foi o grande responsável por disseminar os ritmos nordestinos que compõem o forró, entre eles o xote, xaxado, baião, chamego, a quadrilha, arrasta-pé e pé-de-serra. Nascido em 13 de dezembro de 1912, Gonzaga deixou um legado eterno ao falecer em 1989, após 50 anos de uma carreira brilhante e mais de 70 discos gravados.

Em 2021, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) conferiu ao forró o status de Patrimônio Cultural do Brasil. O conselho responsável pela decisão, composto por representantes de instituições públicas, privadas e da sociedade civil reconheceu a importância do forró e o declarou como um supergênero musical. Isso se deve à capacidade do forró de reunir e representar diversos ritmos nordestinos.

Luiz Gonzaga também passou adiante seu legado, como no caso de seu sobrinho, o renomado sanfoneiro e cantor Joquinha Gonzaga, hoje aos 70 anos. Joquinha recebeu seu primeiro instrumento das mãos do tio famoso aos 12 anos de idade.

As letras de Luiz Gonzaga, conhecidas por retratar o cotidiano do povo nordestino, são verdadeiros testemunhos das alegrias e tristezas do sertão. Uma das músicas mais emblemáticas, “Asa Branca”, fruto da parceria com o compositor cearense Humberto Teixeira.

A palavra “forró” não se limita apenas à música, abrangendo também a dança, a cultura e todas as atividades a ela associadas.

Por: Redação Caririensi

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top