Mãe de Henry Borel diz que se arrepende de ter ido morar com Dr. Jairinho e que provará inocência

Monique Medeiros, em entrevista ao jornal O Globo, define os quase três meses de preisão como “muito difíceis”


Reprodução/Redes Sociais
Presa há 86 dias no Instituto Penal Ismael Silveiro, em Niterói, Rio de Janeiro, a professora Monique Medeiros da Costa disse, em entrevista ao jornal O Globo na segunda-feira (5), que se arrepende de ter morado com o ex-companheiro, o médico e ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, e que provará sua inocência. O casal é réu pelos crimes de tortura e homicídio triplamente qualificado contra o menino Henry Borel de Almeida, de 4 anos.    
Dividindo uma cela de oito metros quadrados na instituição penal com uma mãe acusada de maus-tratos, Monique define os quase três meses de confinamento como “muito difíceis”.   
“Sinto é que minha vida foi completamente destruída — não só a liberdade, mas perdi também meu bem maior, o meu amor, o meu filho”, disse ao O Globo.  
Na entrevista à reportagem da publicação, a mãe de Henry revela estar arrependida por ter divido o apartamento 203, do bloco I, do condomínio Majestic, no Cidade Jardim, na Zona Oeste do Rio com Dr. Jairinho. A criança foi agredida no quarto de casal do imóvel na madrugada do dia 8 de março.   
“Me arrependo muito principalmente de ter colocado alguém dentro da minha casa sem prever que ele poderia fazer algum tipo de mal. Moramos somente dois meses juntos, mas foi o tempo suficiente para ele ter acabado com o meu mundo” 
Monique a e Dr. Jairinho se conheceram em agosto de 2020, dois meses depois Henry foi apresentado ao então companheiro da mãe. Na ocasião, um almoço em um restaurante, o menino teria abraçado o político e desde então “não parou mais de falar seu nome”, lembrou a professora. Os dois foram morar juntos em janeiro deste ano.

Reprodução/Diário do Nordeste

Gostou da matéria, Compartilhe!

Scroll to Top